0
Antonio Carlos Costa
Direitos humanosJustiça socialRio de Paz

INFÂNCIA INTERROMPIDA: LISTA DE CRIANÇAS MORTAS POR “BALA PERDIDA” NO RIO DE JANEIRO ENTRE 2007-2015

By 24 de setembro de 2015 One Comment

12039728_10153789641459574_5979572010854224873_n

Alana: 12 anos. Morta no dia 5 de março de 2007 num tiroteio entre policiais e traficantes no morro dos Macacos, em Vila Isabel.

Hugo Ronca Cavalcanti. 12 anos. Morto no dia 8/12/07 por bala perdida que atingiu sua cabeça enquanto jogava bola no Clube Federal, no Leblon.

Fabiana: 11 anos. Morta dentro de casa, vítima de bala perdida, numa operação policial no Morro dos Telégrafos, no dia 15 de dezembro de 2007.

Ramon: 6 anos. Morto no dia 30 de junho de 2008, com um tiro na cabeça, enquanto aguardava o pai na porta de casa, num tiroteio entre policiais do 9º BPM e traficantes na favela do Muquiço, em Guadalupe.

João Roberto: 3 anos. Morto no dia 6 de julho de 2008, quando se encontrava no banco de trás do carro da mãe, que foi metralhado por policiais militares que perseguiam bandidos na Tijuca.

Wesley: 11 anos. Vítima de bala perdida, no dia 19 de julho de 2010, que o atingiu no peito dentro de sala de aula no CIEP Rubens Gomes, em Barros Filho. A operação foi comandada pelo 9º BPM.

Juan: 11 anos. Morto numa operação do 20º BPM (Mesquita) no dia 20 de junho de 2011 na Favela Danon, em Nova Iguaçu, Baixada Fluminense.

Juliana Rodrigues. 6 anos de idade. Morta em setembro de 2011, por uma bala perdida durante tiroteio entre policiais e criminosos no Caju, na zona portuária do Rio de Janeiro.

Bruna: 10 anos. Morta no dia 27/7/2012 durante uma operação policial no Morro da Quitandinha, em Costa Barros, na Zona Norte do Rio.

Yasmin de Moura Camilo: 4 anos. No dia 19/08/12 brincava em um parquinho da comunidade Terra Nostra, em Costa Barros, quando foi atingida por uma bala perdida durante confronto entre policiais e supostos bandidos.

Adrielly dos Santos. 10 anos. Atingida na cabeça por uma bala perdida na noite de Natal (24/12/12), em Piedade, no Subúrbio do Rio, vindo a falecer na tarde do dia 4 de janeiro de 2013.

Lucas Farias Canuto. 13 anos. Estava na localidade conhecida como Reta dos Barracos, no Caratê, na Cidade de Deus, quando foi atingido no peito, por volta das 14h do dia 15/06/14. No momento, ocorria uma troca de tiros entre traficantes e policiais da UPP.

Luís Felipe Rangel Bento. 3 anos. Morto na manhã do dia 25/06/14, no Morro da Quitanda, em Costa Barros, na Zona Norte, vítima de uma bala perdida, enquanto dormia, numa troca de tiro entre traficantes e policias.

Patrick Ferreira de Queiroz. 12 anos. Morto no dia 15/01/15 durante confronto entre bandidos e policiais da UPP Camarista Méier.

Larissa de Carvalho. 4 anos. Vítima de uma bala perdida, que atingiu sua cabeça, no 17 de janeiro deste ano, em Bangu.

Asafe William Costa de Ibrahim: 9 anos. Morto no dia 18 de janeiro deste ano, após ser atingido por uma bala perdida em Honório Gurguel.

Eduardo de Jesus Ferreira. 10 anos. Morto no dia 2 de abril deste ano, após ser atingido na cabeça por uma bala perdida, no Complexo do Alemão.

Christian Soares Andrade. 13 anos. Foi morto no dia 8 de setembro deste ano em troca de tiros durante operação policial em Manguinhos.

Herinaldo Vinícius de Santana. 11 anos. Morto com um tiro no tórax, no dia 23 de setembro deste ano, na favela Parque Alegria, numa ronda feita pela Unidade de Polícia Pacificadora do Caju.

FATOS IMPORTANTES

1. A maioria das mortes ocorreu em confronto entre traficantes e policiais.

2. Criança pobre é quem geralmente morre.

3. A punição dos culpados é rara.

4. O socorro por parte das autoridades públicas aos parentes das vítimas é praticamente inexistente.

5. A sociedade civil raramente protesta.

Rio de Paz
Dando voz aos sem voz e visibilidade aos invisíveis.

Antonio Carlos Costa

Antonio Carlos Costa

Teólogo, jornalista e ativista social. Plantador da Igreja Presbiteriana da Barra (Rio de Janeiro) e fundador da ONG Rio de Paz. Nascido no Rio de Janeiro em 1962. Casado com Adriany. Pai de três filhos: Pedro, Matheus e Alyssa.

One Comment

  • Ana Paula Ramos disse:

    Infelizmente a menina Adrielle que foi baleada na véspera de natal teve o corpo retirado pelo homem que não compareceu ao plantão para atendê-la agora fez o pior! Ele deu socos e chutes e pontapés e ainda arrastou, humilhou e envergonhou a vítima para a multidão dizendo que ela merecia isso!

Leave a Reply